O Alzheimer segundo a Medicina Tradicional Chinesa



Um texto no auxílio do tratamento.
Por Gustavo França
Pessoal, hoje resolvi escrever sobre a patologia do Alzheimer e explorar como lidarmos com ela através da Medicina Tradicional Chinesa.

O Mal de Alzheimer ou simplesmente Alzheimer é caracterizado pela perda progressiva e “irreversível” das faculdades mentais, apresentando uma atrofia generalizada, com perda neuronal específica em certas áreas do hipocampo e regiões parieto-occipitais e frontais. Em conseqüência surgem os processos degenerativos da memória, inteligência, sentidos de orientação, raciocínio e discurso incoerente.

O Alzeimer para a Medicina Tradicional Chinesa tem sua classificação relacionada às seguintes categorias: Dai Bing (mente débil), Wen Chi (demência senil), Shan Wang (memória fraca), Yu Zheng (síndrome depressiva) e Dian Zheng (loucura).

A patologia nas pessoas de meia idade e idade avançada tem em sua etiologia à deficiência de Qi (Energia) e Xue (Sangue) ou insuficiência de Jing (Essência Renal), os quais levam ao desenvolvimento de Xie Qi (Energia Perversa) como Vento Patogênico, Fogo, Mucosidade e estase de Sangue.

Uma vez instalado, o Xie Qi (Energia Perversa) ascenderá à cabeça, obstruindo vasos, impedindo assim que o Yang puro, Jin Ye (Líquidos Orgânicos) e demais nutrientes possam ser levados ao Mar da Medula, ocorrendo a obstrução dos seus orifícios. A inteligência e a memória são atividades cerebrais e não do coração, sua perda deve-se a exaustão gradual da medula do cérebro causada por uma deficiência do Shen Qi (Energia do Rim) e do Yuan Qi (Energia pré-natal).

O Alzheimer é uma doença de etiologia de vazio com sinais de plenitude na superfície, ou seja, na raiz há deficiência e na superfície há excesso. Por essa razão, é fundamental determinar com rigor qual a dimensão do vazio e da plenitude em cada paciente. Assim, será possível prescrever a terapêutica mais apropriada, de acordo com a diferenciação, usando-se os princípios de tonificação da insuficiência da essência vital e dispersão do excesso, removendo os fatores perversos.

Diferentes focos de tratamento foram defendidos por renomados médicos chineses como veremos a seguir:

Deng Zhenming defendeu o tratamento da demência causada por Vazio do Yin do Shen (Rim) e do Gan (Fígado). Para tal, prescreveu a fórmula Bushen Yinao Tang ( Suplemento Tonificante do Rim e Cérebro). A sua composição inclui He Shou Wu ( Radix Polygoni Multiflori), Shan Zhu Yu (Fructus Corni), Shan Yao (Rhizoma Dioscoreae), Gou Qi Zi (Fructus Lycii) e Tu Si Zi (Semen Cuscutae).

Nos casos em que Vento Patogênico se encontrasse presente, acrescentou Long Gu (Os Draconis) e Mu Li (Concha Ostreae); existindo relatos de eficácia de 95% dos casos tratados. Com essa prescrição foi possível verificar melhorias no EEG e nos níveis de lipemia, ocorrendo também alterações nos níveis do complemento C3b e no seu receptor, o que favorece a diminuição da fagocitose eritrócitária, melhorando o aporte de oxigênio ao cérebro.

Zhang Farong entendia que a demência senil tem origem na insuficiência do Mar da Medula e no bloqueio do orifício do cérebro através da deficiência do Shen Qi e do Jing, levando assim a uma posterior astenia do Pi (Baço-Pancreas) e deficiência do Yin do Gan (Fígado). Para tal prescreveu com Huan Shao Dan de forma a nutrir o Gan (Fígado) e o Shen (Rim), suplementando a essência para a nutrição do Mar da Medula.

Han Xu considerava que a insuficiência do Xin (Coração) e do Shen (Rim) causaria demência de tipo depressivo. O princípio terapêutico é restabelecer a comunicação e nutrir o Xin (Coração) e Shen (Rim), afim de tranqüilizar o Shen (Espírito, Consciência, Mente) e fortalecer o cérebro. Para isso prescreveu que o uso de Ziyang Xinshen Fang (fórmula para enriquecer e alimentar o Xin (Coração) e o Shen (Rim)), tendo na sua composição Shu Di (Radix Rehmanniae preparata), He Shou Wu ( Radix Polygoni Multiflori), Gou Qi Zi (Fructus Lycii), Huang Jing (Rhizoma Polygonati), Shan Zhu Yu ( Fructus Corni), Sang Ji Sheng ( Herba Taxilli), Suan Zao Ren ( Semen Ziziphi Spinosae), Bai Zi Ren ( Semen Platycladi) e Wu Wei Zi (Fructus Schisandrae).

Sun Xiang sustentava que o Fei (Pulmão) governa o Qi (Energia) do corpo, o qual gera a Essência para controle do estado mental.

Quando o Qi (Energia) do Fei (Pulmão) está consumido e deficiente, devido à idade avançada, ele se torna incapaz de controlar a atividade mental originando uma série de sinais e sintomas. A geração do Shen (Rim) também se torna incapaz, e a comunicação entre alto e baixo não é estabelecida ocorrendo fôlego curto, opressão torácica, discurso incoerente, distúrbios da compreensão e pulso filiforme.

Fatores como a ansiedade extrema, dieta alimentar incorreta, abuso de exposição a ambientes frios, administração prolongada de fitoterapia de natureza fria, causam a deficiência do Pi (Baço-Pâncreas) e obstrução interna dos orifícios pelas mucosidades turvas, originando um quadro de debilidade mental do tipo misto vazio-plenitude.

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, os seguintes padrões se apresentam:

Deficiência do Qi do Pi (Baço-Pâncreas) com fleuma e estagnação de Xue ( Sangue) obstruindo os orifícios da mente;
Estagnação do Qi do Gan (Fígado) com acumulo de fleuma (mucosidade) e estagnação de Sangue.
Fleuma-calor obstruindo os orifícios.
Deficiência do Yang do Pi (Baço-Pâncreas) e do Shen (Rim), gerando fleuma (mucosidade) e estagnação de Xue (Sangue), obstruindo os orifícios da mente.
Deficiência do Yin do Gan (Fígado), Yin do Shen (Rim) e Yang do Pi (Baço-Pâncreas) com acumulo de fleuma (mucosidade), levando a estagnação Xue (Sangue), obstrução dos os orifícios da mente e geração de vento interno.

Tang Xiangtan apresentou um relatório que reportava a estratégia de tratamento da demência, através do princípio de restauração da consciência e abertura dos orifícios da mente, obtendo 92.3% de taxa de eficácia em 26 casos. Os pontos prescritos foram:

Shuigou (VG26)
Baihui (VG20)
Dazhui (VG14)
Fengchi (VB 20)
Neiguan (CS6) com puntura em direcção a Waiguan (TA5)
Taixi (R3)
Xuanzhong (VB 39)

Aplicou-se estimulação forte em Shuigou (VG26), picou-se Neiguan (CS6) em direção a Waiguan (TA5) (com técnica de picotamento) levantando e pressionando a agulha sobre a pele, tonificação em Taixi (R3), rotação em Xuanzhong (VB 39) e Dazhui (VG14), regularização em Fengchi (VB 20) e Baihui (VG20). As agulhas ficaram implantadas 20 minutos, faz-se moxa em Dazhui (VG14).
Uma sessão por dia em ciclo terapêutico de 10 sessões.

Na minha experiência pessoal, pontos a serem utilizados em adição a prescrição e de acordo com o padrão e estágio em que o Alzheimer se apresenta são:

CS5,C5, C7, DU MAI , E40, IG4+F3, VG1, F8, P7, BP3 , E36, R4, R7, IG11, B23, B20, B21, B17, VG4, B18, B13,VC4

Ressalvo que devemos ter a consciência do estágio onde a doença se encontra, protegendo-se e reforçando os subníveis, afim de retardar o seu aprofundamento.

Como mencionado anteriormente, devemos ter a consciência de que a Essência está afetada, sendo assim, difícil o prognóstico de reversão.

A alimentação deverá seguir a mesma prescrição, de acordo com o padrão apresentado, para utilizá-la como parte fundamental da medicina interna.

Espero ter trazido diretriz e informação relevante para se buscar melhor qualidade de vida aos nossos pacientes.
Forte abraço a todos!

Gustavo França
gustavo.franca@yahoo.com

Notas do autor:

* O texto é informativo sobre a abordagem do Alzheimer na MTC.

** Todas as técnicas e prescrições devem ser realizadas por profissionais com formação em Acupuntura Tradicional Chinesa e Fitoterapia Chinesa, dentro de sua base de conhecimento milenar e os padrões individuais de cada paciente.

*** O tratamento médico ocidental para o Alzheimer, não deve ser interrompido em qualquer hipótese, mas aliado ao saber milenar da Acupuntura e da Medicina Chinesa, afim de oferecer a melhor conduta terapêutica ao paciente.

Extraído de: https://www.facebook.com/groups/acupunturaindependente/245653725483221/

Comentários

  1. Boa Tarde, estou elaborando um trabalho de conclusão de curso sobre Acupuntura e Alzheimer, o link da referência não está mais disponível vc tem alguma fonte que possa me mandar : desde já Agradeço.

    ResponderExcluir
  2. Olá Pedro, tudo bem?
    Referências: Diagnóstico na Medicina Chinesa, B. Auterouche, excelente livro para pesquisar e entender os desequilíbrios energéticos no Alzheimer.
    Recomendo também os livros do Macciocia e Jeremy Ross.

    Espero ter ajudado.

    Amor e Luz,
    Eu Sou Andréia

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

HORÁRIOS DOS 12 MERIDIANOS PRINCIPAIS

CLORETO DE MAGNÉSIO P.A. - O SANTO REMÉDIO

OMBRO DOLOROSO E SEU TRATAMENTO COM ACUPUNTURA