OS ÓRGÃOS E AS EMOÇÕES - 2a. PARTE - HUN A ALMA DO FÍGADO


Nesta 2a. parte abordaremos o Hun, a Alma do Fígado e a experiência do uso dos cristais radiônicos e gráfico no ponto B47 Portão do Hun 

O Fígado tem como principais funções fisiológicas, o armazenamento do sangue, regula o volume sanguíneo de acordo com a atividade física, a manutenção da desobstrução para o fluxo do Qi (função vital) e controle dos tendões, manifesta-se nas unhas e sua abertura é através dos olhos.

Quando o organismo descansa, o sangue volta para o fígado. Quando o organismo está ativo, o sangue flui para nutrir os músculos e os tendões. Regula o volume de sangue na menstruação.

Facilita o abastecimento adequado do meridiano Ren Mai (Vaso Diretor) e do meridiano Chong Mai (Vaso Penetrador).

Segundo o Su Wen, capítulo 8, “O Fígado tem o cargo de general das forças armadas. A avaliação das circunstâncias e a concepção dos planos se originam dele”.

 O Fígado está relacionado às atividades emocionais, especialmente depressão e raiva. Ele tem como função controlar o humor. A depressão mental prolongada ou um acesso de raiva podem enfraquecer o fígado de forma a torná-lo incapaz de estimular o fluxo livre de Qi. Ao contrário, a disfunção do fígado geralmente é acompanhada de alterações emocionais, tais como a depressão e irritação.

A reatividade é a capacidade de reagir a estímulos. Essa capacidade possibilita o planejamento correto das ações. Quando o Qi do Fígado está estagnado, a reatividade torna-se excessiva e suas manifestações são a irritabilidade, fúria, frustração, ódio, amargura. A estagnação do Qi do Fígado promove a ascensão do yang do Fígado. Essa ascensão turva a mente, cega os olhos.  A capacidade de planejamento fica afetada. Segundo a literatura chinesa A Arte da Guerra, para enfraquecer um general, deve-se irritá-lo ao extremo, assim sua estratégia e visão do campo de batalha ficam obstruídas e comete erros. 

O aumento do fluxo do Qi ascende para a cabeça e ocorre sintomas de cervicalgia e braquialgia relacionados as tensões musculares, além da cefaléia. A fúria promove este aumento do fluxo de Qi e o Fígado acaba invadindo o Baço-Pâncreas, causando diarréias. Essa diarréia, sob o ponto de vista metafísico, pode ser interpretada como perda de recursos.

A depressão mental decorrente do desequilíbrio do fluxo de Qi prolongado pode ocasionar reações de apatia. Essa apatia é o resultado de ressentimentos e raiva reprimidos.

A Vesícula Biliar é o único sistema yang que armazena um fluido puro – a bile, sendo por isso considerada um sistema yang extraordinário.

Governa a decisão, se relaciona à coragem ou covardia do indivíduo. Se o Qi da Vesícula Biliar é insuficiente, a pessoa terá uma atitude temerosa, tímida, desencorajada. Controla a iniciativa, atitudes para promover mudanças. Dá o direcionamento à decisão e vitalidade. Influencia a qualidade e duração do sono.

O Hun, em chinês, significa “alma etérea” e reside no Fígado. Representa o aspecto sutil e expansivo da psique humana e liga-o à consciência universal. No ocidente, está relacionado à alma do indivíduo.

Acredita-se que o Hun entra no corpo físico no momento do nascimento e o deixa no momento do desencarne. Possibilita experiências fora do corpo durante o sono e está relacionado às experiências de quase morte. O sonambulismo também está relacionado ao Hun.

É considerado o guardião dos propósitos, dos objetivos elevados, da motivação. Fonte dos sonhos e visões, equilíbrio entre a excitação e a inércia.

É uma força dinâmica que desencadeia os impulsos necessários para empreender uma ação. Encontra-se em relação com o “atavismo”, o instinto hereditário, a força da palavra, as pulsões e as paixões. Como controla a imaginação, desempenha um papel essencial em todo ato de criação, permitindo a elaboração de uma estratégia.

Uma condição energética de deficiência deste sistema reduz os impulsos, os desejos e o entusiasmo e ocasiona um empobrecimento da imaginação e uma incapacidade para conceber planos de ação futuros. Uso de álcool e de drogas afeta o Hun com facilidade.

Quando o Hun está perturbado por uma condição de excesso, o sono é agitado, tem-se sonhos violentos ou pesadelos, os projetos são excessivos e incoerentes, a imaginação é deslocada da realidade e as pulsões incontroláveis, muitas vezes ligadas à sexualidade.

A pulsão, na teoria analítica é a energia fundamental do indivíduo, força necessária ao seu funcionamento, exercida em sua maior profundidade e pode apresentar muitas formas.

O desequilíbrio do yin ou do sangue do Fígado pode promover a saída do Hun do corpo físico. A alma etérea vaga no espaço e no tempo, promovendo uma sensação de flutuação. Essa sensação acontece quando o Hun não se enraizou e o indivíduo torna-se um sonhador acordado, vivendo fora de sua realidade, estado a que comumente dizemos “a pessoa está aérea”. O Hun enraizado no sangue permite distinguir o sonho da realidade, a percepção não fica distorcida.

Fortalecendo o Fígado, o Hun permanece no corpo físico, principalmente nos estados patológicos, propicia à realização devido dar ao indivíduo a capacidade de realizar seus projetos e sonhos. Desenvolve o discernimento espiritual, a certeza que tudo dará certo. Esse discernimento não fica exclusivo ao plano material, do planejamento e execução de tarefas, vai além. Podemos entender que a fé depende do equilíbrio do Fígado. Um Fígado equilibrado, fé inteligente, um Fígado desequilibrado, pouca fé ou descrença.

O uso dos Cristais Radiônicos

Quando o indivíduo está com suas crenças abaladas, sem perspectivas e propósitos, queixa-se de falta de fé, dificuldade para dormir, falta de discernimento entre o real e o ilusório, uma boa opção é utilizar no tratamento o ponto B47, conhecido como o Portão do Hun ou Porta para a Alma Errante.

O B47 está localizado a 3 cun laterais à linha mediana posterior, na altura da margem inferior do processo espinhoso da TIX. Suas funções energéticas são de distribuir o qi do fígado, harmonizar o baço e o estômago e relaxar os tendões.

Utilizo este ponto com os cristais radiônicos colados no gráfico mãe da seguinte maneira:

1. faço a âncora: neste processo gosto de adesivar um cristal radiônico no ponto Yin tang para acalmar e facilitar a visualização na tela mental, ajuda o paciente a dissolver o bloqueio emocional que originou o problema.

2. equilibro os 5 elementos pela aurícula.
3. adesivo um mini gráfico mãe com 3 cristais radiônicos colados, invocando mentalmente a Santíssima Trindade: "Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo" no ponto B47.

O resultado é imediato! O paciente apresenta uma calma interior percebida pelos seus olhos brilhantes, olhar direcionado para frente, face calma, sorriso decisivo, pulso do Fígado harmoniozo e clareza mental. Começa a planejar, seu espírito está elevado, volta a orar e pedir orientação interior e alívio da opressão e aflição que sentia. Esse processo permite o ancoramento do Hun, gera tranquilidade e direcionamento de suas ações, além de permitir que o paciente volte a dormir bem.

O tempo de permanência do mini gráfico com os 3 cristais radiônicos adesivados em B47 é até o retorno combinado, onde o paciente relatará sua evolução.

Amados, 
espero ter contribuido com essa experiência.

Amor e Luz,
Eu Sou Andréia.

Na 3a. parte deste artigo, abordaremos o Shen.

Extraído do TCC "Experiências Clínicas com o Uso dos Cristais Radiônicos em Distúrbios Emocionais", Moreira, A., 2011
Respeite os créditos.

Comentários

  1. como faço para harmonizar o meu fígado (tive uma perda amorosa) e ando muito triste.. preciso esqucer. obrigada. pode responder por e-mail? amanda.tratiotina@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A resposta é: PERDÃO.
      Amor e Luz,
      Eu Sou Andréia

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

HORÁRIOS DOS 12 MERIDIANOS PRINCIPAIS

CLORETO DE MAGNÉSIO P.A. - O SANTO REMÉDIO

OMBRO DOLOROSO E SEU TRATAMENTO COM ACUPUNTURA